terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Capítulo Cinco
Abril, 2006

- Demi, esse é a Doutora Melissa Lynes, ela veio para te ver – Catherine avisou a irmã, que estava parada, sentada em seu lugar habitual.
Demetria continuou parada, apenas encarando Dra. Lynes. Por que tinham mandado uma médica para vê-la? Ela já não estava bem? Estava comendo, tomando banho, até mesmo falava de vez em quando. Queriam mais do que isso?
- Olá, Demetria – Melissa disse, olhando a mulher que continuava imóvel – Você prefere conversar aqui ou em outro lugar? – Quando Demetria não respondeu, Melissa deu de ombros e agachou-se no chão, ficando na altura da paciente – Você deve estar se perguntando porque eu estou aqui. Eu sou uma psiquiatra, Demetria. Seu marido e sua irmã me chamaram aqui para que eu visse você.
Catherine saiu discretamente pela porta, deixando Demetria e Melissa sozinhas. Demi precisava daquilo, já devia ter consultado um profissional há muito tempo, logo quando começou a demonstrar sinais depressivos, mas ainda tinha tempo. Demetria estava se esforçando para parecer melhor, não sabia se o motivo disso tinha sido sua chegada ou o tempo, mas ela estava tentando parecer viva, pelo menos. O problema é que não estava conseguindo. Ainda parecia morta, às vezes, mais morta do que Stella.
Ela não conversava com Catherine, achava que sim, mas só emitia sons aleatórios e ouvia a irmã. Obedecia ordens, mas raramente fazia algo por vontade própria. Não falava com os amigos e mal encarava o marido. Duas semanas antes, fora dormir no sofá e desde esse dia não dormira mais no próprio quarto. Entrava lá para pegar suas roupas e só. Também não tomava mais banho na suíte, usava o banheiro do corredor. O banheiro de Stella.
Joseph estava devastado com isso, ainda mais do que já estava. Catherine não sabia de quem sentia mais pena, da irmã que rejeitava a vida ou do cunhado que era rejeitado por ela. Eles não mereciam aquilo.
- Ela está falando com a Dra. Lynes? – Joe perguntou, observando da porta de seu quarto.
- Se ela está falando, eu não sei. Mas Dra. Lynes está falando com ela. Espero que ela melhore.
Catherine se afastou do quarto, andando até Joe, colocou a mão em seu ombro. Já estavam há mais de um mês vivendo a mesma rotina, em função de Demetria. Catherine tinha o visto chorar, ouvira seus lamentos, isso os aproximou. Não de uma forma amorosa ou sexual, só a ideia seria repugnante para ambos, mas tinham construído uma amizade confiável.
- Eu estou indo embora, Catherine – Joseph falou, depois de alguns minutos de silêncio.
- O que você quer dizer, vai sair?
- Vou sair de casa – Ele explicou – Acho que vai fazer bem para Demetria. Obviamente, ela não me quer por perto. Fizemos umas três músicas novas ao longo desse mês, tínhamos umas antigas... Vamos fazer uns shows, mostrar que alguns de nós ainda estão vivos.
- O que?! Você não pode simplesmente ir embora, Joe. Certo, Demi está passando por um momento difícil e não quer te ver, mas isso vai passar. E quando passar, ela vai querer que você esteja aqui.
- Desculpe, Cath, mas não posso ficar apostando nisso. Eu não queria ir assim, mas preciso fazer os shows, entende? Estão procurando um substituto... Querem me substituir no McFly. Preciso mostrar que não morri.
- Eles não podem fazer isso! – Catherine disse, abismada com o que Joseph tinha acabado de dizer – Você acabou de perder sua filha.
- Acontece que as pessoas acham que depois de cinco meses você já deveria ter superado – Joe comentou, deixando transparecer sua insatisfação.
- Mas não é só isso, é? – Ela ergueu as sobranclheas – Joseph, estamos vivendo na mesma casa há um mês e eu te conheço há muito tempo. Eu vi você cuidando de Demetria, você não a deixaria ela assim. O que mais aconteceu?
- Demetria quer que eu vá, ok? E se essa é a única coisa que eu posso fazer por ela, é o que eu vou fazer.
Catherine não disse nada sobre isso. Não podia fazer nada, se Joseph quisesse ir embora, ele deveria ir. Quem ela queria enganar? Demi estava péssima e ele precisava do trabalho. Alguém precisava continuar trabalhar, todos eles precisavam continuar com a vida. Ela não faria o mesmo que ele, mas não o culpava por querer ir embora.
- Quando você vai? – Perguntou.
- Só vamos sair em mais de um mês, mas acho que vou ficar um tempo na casa de Liam, até lá. Vai ser melhor para me concentrar e escrever. E me acostumar. Vou ver se falo com Demi hoje, ela provavelmente não vai se importar, mas...
- Talvez ela se toque do que está acontecendo, quando você avisá-la. Um choque de realidade.
Joe concordou com a cabeça. Era isso que ele esperava, que ela acordasse desse coma em que estava vivendo. Que ela percebesse que a vida continuava e que ele não estaria ali para sempre. E mesmo se não estivesse, ela estava, e era isso que importava no fim, não é? Viver.
Ele nem sabia mais.
Estava indo viver. Abandonando quem mais amava no mundo e indo embora, porque vê-la morrendo estava o matando, e seus amigos diziam que ele precisava se reanimar, que ele precisava recomeçar a vida. Mas ele não se sentia bem com isso, como poderia viver, se estava se afastando de Demetria?
Ele queria saber se estava fazendo a coisa certa. Seu coração dizia para que ele continuasse ali, para que ele esperasse ao lado de sua esposa. Com o tempo ela voltaria, ele tinha esperança, com o tempo tudo voltaria o normal. Mas não ficaria, a razão lhe dizia, ele não podia ter certeza, seus amigos completavam.
O McFly costumava ser sua vida, seu agente dizia. E mesmo que não continuasse sendo a sua, ainda era grande parte dos outros três integrantes, ele não podia simplesmente abandoná-los. De um jeito ou de outro, ele teria que deixar um dos dois de lado, o McFly ou Demetria. Quem ele iria escolher? A mulher semi-morta, que não o deixava tocá-la ou seus melhores amigos, que sempre o apoiaram? Há alguns meses atrás teria escolhido sua esposa sem hesitar, e agora olha onde ele estava.
Saiu de casa, precisando respirar um pouco. Como contaria isso para Demetria? Era complicado demais. Ele estava saindo de casa, mas não significava que eles estavam se separando, significava? Não, é claro que não. Tirou a ideia da cabeça rapidamente, ele não iria se divorciar e Demetria, bom, se ela pedisse para se divorciar, ele estaria feliz demais por ela ter uma opinião para se importar.
Quando estava cansado de andar, pegou um táxi e foi até a casa de Kevin, onde Liam e Nick também estavam. Iria contar-lhes que avisaria Demi hoje. Boa notícia para eles, não é?

Chegou em casa razoavelmente cedo. Ao entrar em casa, pode ouvir Catherine falando. Olhou de longe que ela estava acompanhada por Demi, que estava sentada de costas para a porta. Demi escutava a irmã, sem dizer nada, para variar. Joe suspirou e andou até elas. Cumprimentou-as, porém não tocou em Demetria, tinha desistido assim que percebeu que ela sempre se afastava, como se tivesse levado um choque.
- Ah que bom que você chegou, Joe – Cath falou – Eu tenho um encontro hoje – Ela riu, tentando quebrar um clima tenso – Estou saindo agora.
Joe não sabia se ela tinha realmente um encontro ou não, mas percebeu que ela estava saindo naquele momento apenas para deixá-lo sozinho com Demi. Quando Catherine levou, ele se sentou ao lado da esposa. Demi o encarou, mas seus olhos não lhe diziam nada.
Demetria costumava falar pelos olhos. Foi assim que Joe primeiramente percebeu que uma parte dela havia morrido, quando viu que seus olhos estavam completamente vazios e sem vida. Eles continuavam assim, Joseph se perguntava se um dia voltariam a brilhar como antes.
- Demi – Ele a chamou – Tenho uma coisa para te contar – Ele falou, olhando-a intensamente.
Demetria quase falou um “O que?”, por apenas um mísero segundo, sua boca abriu levemente. O movimento não durou muito tempo e não deu em nada. Mas Joe percebeu, e se sentiu culpado na mesma hora. Ela iria falar, isso significava que ela estava melhorando, e ele iria abandoná-la. E se odiava por isso.
Como a mulher continuou calada, ele reuniu forças para dizer o que teria.
- Eu estou indo embora, Demetria – Ele falou e levou um susto ao perceber o olhar assustado da esposa – Voltei a compor com a banda... Nós vamos fazer uns shows mês que vem e até lá vou ficar na casa de Liam, terminando as músicas e tudo mais.
Demi permaneceu em silêncio, mas ele pode sentir os pensamentos acusadores. Você está me abandonando? Perguntava Demetria mentalmente.
- Isso não é para sempre – Ele completou – Vou ficar lá só para me acostumar, Demi, e depois quando voltarmos para Londres, talvez eu volte para casa.
Talvez. Os dois sabiam o impacto dessa palavra. Sabiam o que ela significava. Ele não tinha certeza se ele voltaria, ele não tinha certeza se gostaria de voltar para lá. Para aquela casa cheia de memórias e lágrimas.
- Eu tenho que fazer isso, Demetria – Ele se explicava, mesmo que ela não tivesse perguntado – Eu tenho que continuar a viver - Completou – Você deveria tentar isso também.
Demetria permaneceu em silêncio. Joe esperava que ela dissesse algo, afinal fora ela mesma quem o aconselhara, um mês antes, a ouvir Liam, não é? Mas ela não disse. Ele se levantou, indo em direção a cozinha, esquentar seu jantar.
- Estou feliz por você – Demetria murmurou, despertando a atenção do marido – Você está certo, Joseph.
Ela se levantou, olhando significativamente para Joe. Ele continuava imóvel, chocado com sua manifestação. Demi virou na direção contrária, subindo as escadas. Parou no primeiro degrau, virando-se para ele, que continuava estatizado.
- Boa sorte com a banda – Ela falou, com a voz meio trêmula.
Demi subiu rapidamente até o segundo andar. Ao chegar em seu quarto – que ela não usava já há um tempo, mas fora o primeiro lugar que lhe veio a mente – se trancou, começando a chorar.

Dez coment's para o proximo

Kauana: Seja bem vinda fofa!! Tomara que continua comentando sempre!! ;) bjs

10 comentários:

  1. posta logo
    coitada da demi

    ResponderExcluir
  2. ='(='(='(='(='(='(='(='(='(='( q tristeeeeeeeeeeeeeeeeee postaaaa

    ResponderExcluir
  3. apesar de eu está com pena da Demi, bem que ela mereceu que o Joe vá embora, ela o está tratando muito mal.

    ResponderExcluir
  4. cap perfeito...

    estu com mais pena do joe do q da demi, tadinho...

    q bom q ele conseguiu reunir forças para sair, mas deixar ela num é o melhor tbm, ou será?

    posta logo e bjo bjo

    ResponderExcluir
  5. Mesmo estando com pena da Demi, acho que o Joe está certo, a Demi ta tratando ele muito mal!
    POSTA LOGO
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. POSTA LOGO, TA MUITO MUITO MUITO LINDO, MAIS TRISTE AO MESMO TEMPO
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. To quase chorando aqui :'(
    Mesmo com pena da Demi, o Joe tá certo de ir viver a vida...
    A dor é imensa mas ela tem que seguir em frente como o Joe ta tentando fazer.
    Simplesmente linda. Posta Logo, hein?
    Beijos..

    ResponderExcluir