domingo, 4 de março de 2012

Capítulo Onze
Parte 2 

Setembro, 2008.

- Hey, estão todos aqui, certo? – Demetria perguntou, enquanto ela mesma ia para sua “posição”.
Catherine havia lhe chamado para organizar seu casamento, mas também tinha a chamado para ser madrinha, o que fazia com que ela tivesse trabalho em dobro. Kevin e os pais já tinham entrado e já estavam no altar, então ela chamou as duas amigas de Catherine que estavam conversando animadas do lado de fora da igreja e as chamou para entrarem, junto com um namorado e um amigo de Kevin. Logo depois entrou uma amiga da Califórnia de Cath com Liam, seguidos de Selena e Nick. Catherine estava subindo as escadas, parecendo meio nervosa. Demi sorriu para a irmã, a abraçando antes de verificar se Elle estava no lugar certo – a menina seria a daminha de honra – e de entrar acompanhada de Joe.
Catherine entrou na igreja lentamente, usando um vestido comprido, de mangas curtas – apesar de já estarem quase no outono e o tempo ter começado a esfriar -, justo e completamente branco, sem nenhum detalhe adicional, bem simples. Seu cabelo castanho estava preso em um grande rabo de cavalo alto, que o fazia parecer mais volumoso. Kevin, parado no altar, sorria abobalhado vendo a noiva caminhar em sua direção.
Enquanto assistia ao casamento, Demi sentiu que fosse chorar. Algumas vezes se sentiu mais emocionada do que no próprio casamento, se é que isso era possível. Ela tinha praticamente cuidado de Catherine, tinha a visto crescer, fazer o próprio caminho, indo estudar nos Estados Unidos e agora estava vendo-a se casar! Demetria se sentia orgulhosa como uma mãe. Ela queria que os pais estivessem ali para ver a pequena Catherine se casando, eles nem tiveram oportunidade de conhecer o genro. Se pelo menos tivessem vivido por mais dois anos...
Quando Cath e Kevin faziam os votos, Demi, sem nem perceber, apertou a mão de Joe. Ele apenas olhou para ela, sorrindo, e apertou de volta. Demetria estava com os olhos marejados ao sair da igreja.

Catherine e Kevin estavam dançando no meio do salão enquanto a maioria dos convidados os observava e alguns começavam a dançar também. Demi os olhava, ainda um pouco emocionada. Eles formavam um lindo casal, não sabia como não tinha percebido antes... Pareciam até feitos um para o outro! Ela os observou por alguns minutos, se sentindo contagiada pela felicidade dos noivos. Andou até a mesa que designara para si mesma então, sentando-se ao lado de Nick e Joe.
- Onde está Selena? – Perguntou, mas logo viu a amiga vindo em direção à mesa, arrastando a filha junto.
- Elle já sujou o vestido! – Ela reclamou, sentando-se na mesa e puxando a filha para seu colo. – Tão bonito, branquinho... É claro que ela tinha que sujar em quinze minutos!
- Pelo menos ela esperou até a festa. – Nick disse, tentando acalmar a esposa.
Demi riu, recebendo um olhar de repreensão do casal. Nem ao menos dava para ver a mancha no vestido, provavelmente estaria bem pior ao final da festa. Um garçom apareceu, oferecendo alguma comida, que Demi aceitou, já sentindo o estômago roncar. Viu quando o garçom ofereceu para Selena e Elle e a menina abriu um sorriso, querendo comer.
- Ah não. Vamos lá dançar, Ellie. – Ela puxou a menina para fora da mesa. – Se estiver com fome quando chegarmos em casa, eu te dou algo para você comer. Depois que você tiver tirado esse vestido!
Convencida de que dançar era realmente uma boa ideia, Elle foi de bom grado com a mãe. Demetria tentou prestar atenção no que Nick e Joe conversavam, mas não entendeu o assunto e acabou decidindo sair da mesa assim que terminou de comer. Resolveu conferir a decoração novamente para ver se estava tudo certo, apesar de já ter checado quando chegou ao salão. Foi até o DJ e depois até a cozinha e quando finalmente se convenceu de que nada tinha dado errado, permitiu-se relaxar um pouco.
Pegou uma bebida que outro garçom a ofereceu e foi procurar algum conhecido. Viu que Catherine estava conversando com alguma de suas amigas, acompanhada de Kevin. Na pista de dança, avistou Selena e Elle dançando de forma engraçada e Nick as acompanhando, rindo da família e fingindo que também estava dançando quando a mulher o encarava. Demi ficou parada por um momento, apenas admirando aquele momento em família. Nick pegou Elle no colo, rodando-a de um lado para o outro e então puxou a esposa com o braço que não segurava a filha, abraçando-a também.
Chegando a conclusão que parecia meio maluca observando-os assim, se afastou procurando outra pessoa. Encontrou Liam se agarrando com alguma menina que ela não conhecia em um canto do salão. Esperava que ele pelo menos tivesse terminado com a tal da Bonnie, com quem vinha saindo nos últimos dois meses. Ao voltar para a área das mesas, viu que Joe estava comendo sozinho. Ela sorriu e se sentou ao seu lado.
- Que cena deprimente, Joe. – Ela comentou. – Parece até que você não conhece ninguém aqui.
- Ah, nada disso, os pais de Kevin já vieram aqui falar comigo. – Ele falou. – Vocês é que me abandonam, me fazendo parecer solitário.
- Coitadinho de você. – Ela riu, apertando suas bochechas.
Eles ficaram por ali, conversando sobre nada. De vez em quando Catherine e Kevin apareceriam por ali rapidamente apenas para dar um oi; Liam apareceu apenas uma vez, apresentando como Amy a garota com quem estava – apenas para que ela o corrigisse, irritada, dizendo que era Andie – e então foi embora, desculpando-se com a menina; Selena apareceu se despedindo, somente para pegar a bolsa, acompanhada de Nick, que levava uma Elle já adormecida no ombro.
Demi pegou várias bebidas, ficando meio entediada, já que não conhecia quase ninguém. De vez em quando, alguns convidados de Kevin paravam por ali para falar com Joe, mas mesmos os que a conheciam não sabiam exatamente o que dizer, já que para eles ela era a ex-esposa de Joe. E era isso que era mesmo.
- Você só vai ficar bebendo refrigerante? – Perguntou, pela primeira vez reparando no que ele estava bebendo.
- Bom, não seria muito inteligente beber álcool durante minha reabilitação – Ele respondeu, surpreso por Demi ter se esquecido – E você deveria parar de beber também, querida, se não quiser ir pelo mesmo caminho que eu.
Demi nem percebeu que ele havia a chamado de “querida”, senão não saberia como reagir. Apenas riu, dizendo que nem tinha bebido tanto assim, porém pedindo mais água quando o garçom veio lhe oferecer mais uma taça.
Eles só saíram da mesa quando Catherine e Kevin foram cortar o bolo e todos os convidados se aproximaram. Catherine jogou o bouquet, o qual sua amiga californiana pegou, e depois disso Cath veio se despedir da irmã, já que eles passariam a noite em um hotel e no dia seguinte iriam direto para o aeroporto sair em lua-de-mel.
Mesmo com a saída dos noivos, a festa continuou animada. Poucos convidados tinham ido embora e o DJ começou a colocar músicas mais animadas. Demi começou a se remexer na cadeira, cansada de ficar apenas conversando com Joe.
- Joe – ela chamou, vendo que ele olhava para o outro lado. – Joe – chamou novamente. – Joseph! – Gritou, socando-o para que ele a olhasse. – Eu quero dançar!
- Então vá, ué, não precisa ficar me fazendo companhia. – Ele sorriu e franziu a sobrancelha, estranhando o comportamento dela.
- Eu não quero ir sozinha! Vem comigo. – Disse, levantando-se e o puxando. – Por favor?
Não resistindo ao olhar pidão de Demi, ele acabou se levantando, apesar de não estar com a mínima vontade de dançar. Ela o arrastou até a pista de dança, que estava amontoada de gente. Animada, Demetria começou a dançar, segurando a mão de Joe e balançando, para que ele pelo menos se mexesse. Convencido, ele colocou a mão na cintura de Demi, dançando ao mesmo ritmo que ela. Como se o espaço entre eles o incomodasse, ele a puxou mais para perto, encostando suas barrigas. Por um momento, sentiu uma vontade enorme de beijá-la enquanto ela balançava a cabeça de um lado para o outro, rindo que nem doida e se divertindo. Cansada, ela envolveu o pescoço de Joe com as mãos e repousou sua cabeça em seu peito.
Seja por causa da bebida ou porque era o seu desejo, por um momento ela achou que estava com Joe novamente. Pensou que tivessem voltado uns oito anos atrás e eles fossem namorados, dançando em uma boate. Esqueceu-se de tudo o que tinha acontecido. Foram alguns segundos preciosos em que sua mente voltara no tempo, mas assim que ela voltou para 2008, se deu conta do que estava fazendo e se afastou de Joe.
Tentou disfarçar o que tinha acontecido rindo. Puxou Joe pela mão, de volta à mesa em que estavam sentados antes. Ela se jogou na cadeira, chegando à conclusão de que estava mesmo ficando velha e não aguentava mais essas festas. Se ela estava assim aos trinta e um, não queria nem imaginar como estaria quando chegasse aos cinquenta.
- Acho que vou indo, Joseph. – Ela falou, colocando a mão no ombro de Joe. – Estou ficando cansada.
- Como você vai voltar para casa?
- Acho que vou pegar um táxi. – A mulher deu de ombros, se levantando.
- Ah não, já está de madrugada, vai ser difícil encontrar um táxi a essa hora. Deixa que eu te leve lá.
- Se você não se importar, seria ótimo. – Ela sorriu.
Eles procuraram Liam para se despedir, mas não o encontraram, ele provavelmente já tinha saído com Andie, Amy, ou seja lá o nome dela. Como não conheciam mais ninguém que estava ali o suficiente para se despedir, foram embora direto. Joe tinha estacionado perto dali e logo já estavam no carro indo na direção do apartamento de Demi.
Joe ligou o rádio do carro e começou a tocar uma música aleatória, não estava tocando há nem dez segundos quando Joe fez menção de mudar de rádio.
- Não troque, eu adoro essa música! – Ela falou e Joe bufou, mas não mudou de estação – Engraçado, faz muito tempo que não a escuto.
Por um momento ela deu um risinho, então se tocou de quando tinha ouvido pela última vez. Demetria colocara essa música para tocar enquanto tomava banho no dia em que Stella morrera. Por causa da música ela não escutara o telefone tocar. Por um milisegundo seu coração pareceu ter parado e ela quase desligou a rádio, mas não fez nada disso, apenas respirou fundo e continuou ouvindo a música, enquanto tentava se acalmar.
Não sabia como tinha conseguido passar tanto tempo sem ter escutado a canção e agradecia por isso, pois agora já tinha autocontrole o suficiente para escutar sem grandes problemas.
- Você está bem? – Joe perguntou, olhando-a de soslaio.
Ela apenas assentiu, sem querer contar para ele. Nunca contara para Joe porque não atendera o telefone logo naquele dia – na verdade, ele nunca tinha a questionado ou parado para pensar, tinham problemas maiores –, seria estranho falar agora. Demetria rapidamente lembrou-se de seus planos para aquele dia. Tudo teria sido tão perfeito.
Suspirou, pensando em como sua vida seria agora se Stella não tivesse morrido. A menina estaria com quase seis anos – faria dentro de algumas semanas – e talvez tivesse sido daminha de honra do casamento. Ela poderia estar com um segundo filho, de mais ou menos dois anos, e ainda estaria com Joe.
Pensou em Selena e Nick, em como eles se divertiam dançando na festa, com sua pequena filha nos braços e o futuro bebê no ventre de Selena. Ela sentia falta disso. Sentia falta daquele sentimento de família. Sentia falta de Joe.
É claro que ele estava bem ao seu lado. Eles eram amigos, se viam quase toda semana, conversavam sempre e, é claro, ela não sentia mais falta da amizade dele, ainda bem, mas sentia falta da outra parte do relacionamento que tinham, sentia falta do amor, da paixão, do sexo, das palavras trocadas antes de dormir, de acordar com ele ao seu lado, esperá-lo para jantar, dos “eu te amo”, das ligações diárias durante as turnês.
- É aqui? – Ele perguntou, despertando-a de seu devaneio.
Demetria olhou para o lado, percebendo que Joe já tinha estacionado em frente ao seu prédio. Ela assentiu, sem coragem de falar, pois sabia que se abrisse a boca, corria o risco de despejar todos seus pensamentos.
- Você está bem, Demi? Você está estranha desde que entramos no carro. – Joseph falou, estranhando o comportamento de Demetria.
- Eu estou, eu só... – Ela não respondeu, apenas suspirou de novo.
Demi não sabia o que dizer, apenas olhou para Joe, fixando-se em seus olhos, quase como pudesse ver sua alma. Naquele momento, ela tinha toda certeza que todo amor que tinha tido por Joe ainda estava lá, não tinha diminuído com os anos, talvez tivesse até mesmo aumentado. E mais do que isso, ao se lembrar do dia da morte de Stella, ela pela primeira vez não pensou em Joe e na ligação disso. Ela não pensou em culpar Joe simplesmente porque tinha o livrado da culpa. Não sabia há quanto tempo já tinha parado de atribuir a culpa ao marido, talvez já fizesse alguns meses e ela apenas nunca tivesse parado para pensar nisso.
Maravilhada com isso, abraçou Joe sem nem pensar no que estava fazendo. Era estranho, mas ela finalmente sentia que tinha aceitado, aceitado tudo. Aceitado a morte, o destino, a saudade, o amor. E esse sentimento de aceitação a deixou desnorteada.
- Você o que? – Ele perguntou curioso.
- Eu sinto a sua falta. – Ela respondeu, como se fosse óbvio.
Joe, é claro, não entendeu o significado daquilo. O significado para ele era outro, era um muito mais simples: Demetria sentia falta dele. Ele não podia se sentir mais feliz com aquela declaração, pois há muito tempo sentia saudade de Demi. Não tinha tido aquela mesma percepção de Demetria, pois ele sabia que sentia falta dela desde o momento em que a perdera, há tantos anos atrás.
Joe a abraçou de volta. Quando ela se afastou, ele colocou uma mecha de seu cabelo para trás e apenas sorriu para Demi, sem precisar dizer mais nada. Ela se aproximou dele, tocando seus lábios.
E nesse momento, o mundo explodiu em chamas. A sensação, aquela primeira sensação que haviam experimentado há quase quinze anos, ainda estava lá. Parecia que só havia eles no mundo. Joe abriu a boca, deixando que suas línguas se tocassem e a imprensou contra a porta do carro, indo quase para cima dela. Eles se beijavam ferozmente, como se suas vidas fossem acabar em alguns minutos e eles precisassem sentir o sabor um do outro por uma última vez.
Quando o carro começou a ficar pequeno demais, Joe tirou a chave da ignição e os dois se pararam por alguns minutos, apenas o suficiente para andarem até o prédio de Demi e subirem o elevador, pois antes mesmo se conseguirem abrir a porta do elevador, já começavam a se despir.
Já estavam completamente nus ao chegarem na cama, onde passaram as horas seguintes apenas apreciando um ao outro completamente, tentando recuperar o tempo perdido.
Ali, eles fizeram a própria lua-de-mel. Uma segunda lua-de-mel... Estavam mesmo precisando.

7 comentários:

  1. cof cof, como assim eles transam e tudo fica bem? que e isso producao, brinks, eu AMEI, e pro seu bem Pam e bom q eles continuem juntos viu?! Bjs Posta logo

    ResponderExcluir
  2. Adorei esses dois juntos de novo *-*

    ResponderExcluir
  3. omg, que lindo, juntos de novo *---*
    Posta Logo amr

    ResponderExcluir
  4. MUITO PERFEITO
    POSTA LOGO
    Eles estão juntos de novo UUhhh
    POSTA LOGO
    BeiJemi

    ResponderExcluir
  5. cap perfeito

    volta de jemi surpreendente...perfeita...

    posta logo e bjo bjo

    ResponderExcluir
  6. OMG *OOOOOOOOOOOOOOOO* ATÉ QUE ENFIM ESSES DOIS JUNTOS DE NOVO :D ESPERO QUE SAIA UM BEBÊ DESSA "SEGUNDA LUA DE MEL" HAHA POSTA MAAAAAAAAAAIS

    ResponderExcluir
  7. Tomara que desta recaída tenha bons frutos, Jemi babys gêmeos

    ResponderExcluir